Hipoadrenocorticismo em Cães – Difícil Diagnóstico

Hipoadrenocorticismo em Cães – Difícil Diagnóstico

Hipoadrenocorticismo em cães: conheça a doença e suas dificuldades de diagnóstico. Saiba como identificar sinais de hipoadrenocorticismo em cães e qual o tratamento adequado

Encontre a unidade PET FISIO mais próxima de você e marque uma consulta agora mesmo. Agende pelo telefone (11) 5093-0178 ou (11) 95303-1449

Hipoadrenocorticismo canino

O hipoadrenocorticismo em cães resulta da destruição progressiva do córtex das adrenais , que deve envolver (0% ou mais do tecido adrenocortical, antes que cause sintomas e sinais no animal).Essa destruição é imunomediada.

O hipoadrenocorticismo em cães também é chamada de doença de Addison. Há deficiências absolutas de minério e glicocorticóides.

Manifestações clínicas

É uma doença incomum em cães, acomete cães jovens (em média 4 anos de idade), com predileção por fêmeas. As raças como Poodles, West Highland White Terrier, Cão D’agua Português, Dogue Alemão, Border Collie , Dinamarquês, Rottweiler e Wheaten Terrier são mais predispostas. É considerada uma doença familial.

Ocorre desidratação, fraqueza, fadiga, anorexia, vômitos e bradicardia. O animal é apresentado como emergência em estado de depressão grave, fraqueza e desidratação. As manifestações clínicas são principalmente causadas pelos mineralocorticoides.

O agravamento da situação resulta na chamada crise Addisoniana, que é quando o animal entra em choque devido a sua incapacidade de se adaptar às exigências calóricas e circulatórias.

A glicose no sangue pode cair perigosamente e os níveis de potássio elevados podem afetar seu ritmo cardíaco, podendo até o levar a óbito.

Diagnóstico

A relação de sódio e potássio menor do que 27 pode ser considerada patognomônico de hipoadrenocorticismo primário típico, porém essa condição pode ocorrer em outras condições. Alterações bioquímicas podem ocorrer tanto nessa condição como em outras. Um teste de estimulação com ACTH é necessário para estabelecer o diagnóstico.

Tratamento

Animais apresentados com choque hipovolêmicos e com suspeita de hipoadrenocorticismo são tratados sem esperar pelos resultados de laboratório.

O tratamento consiste em fluídos e administração de corticosteróides. Deve ser instituída uma terapia de reposição de mineralocorticóides para o resto da vida. Com a reposição adequada o prognóstico é favorável.

Importância da prevenção

Mantenha sempre organizada as cópias dos exames de sangue solicitados pelos veterinários nos check-ups dos seus cães. O hipoadrenocorticismo em cães é um doença que pode levar o animal a óbito se não tratada a tempo.

Marque agora mesmo uma consulta com um endocrinologista veterinário em uma unidade PET FISIO mais próxima de você e garanta a reabilitação ideal para o seu cão.

Artigos Recomendados