Hérnia de Disco em Cães e Gatos

Hérnia de Disco em Cães e Gatos

Hérnia de disco em cães e gatos: tipos e tratamentos. Conheça a PET FISIO e trate a hérnia de disco em cães e gatos com profissionalismo e eficiência

A hérnia de disco em cães e gatos é uma doença degenerativa que pode acontecer em qualquer disco (C2-C3 à L7-S1), sendo que quase 85% dos casos estão localizados na região tóraco-lombar.

A hérnia de disco em cães e gatos é dividida em dois tipos diferentes: Hansen Tipo I e Hansen Tipo II. Vejamos qual a diferença entre elas:

· A hérnia de disco em pets Hansen Tipo I é caracterizada por uma degeneração condróide do núcleo pulposo que se inicia entre o sexto a sétimo mês de vida do animal, mas a extrusão desse material em direção à medula ocorre na maioria dos casos em cães de 2 a 7 anos de idade, quando o animal realiza um salto ou algum movimento mais brusco, normalmente causando um quadro agudo dos sintomas.

As raças mais acometidas são as condrodistroficas como: Dachshund, Beagle, Lhasa Apso, Shih Tzu, além de raças com tendências condrodistroficas como: Poodle e Cocker Spaniel.

A hérnia de disco canina Hansen Tipo II é caracterizada por proeminência do disco intervertebral sem que ocorra uma ruptura completa do anel fibroso (protusão). A degeneração discal fibróide ocorre em cães mais idosos de todas as raças, sendo mais frequente clinicamente em cães não condrodistróficos de raças de grande porte e mais idosos, como Pastor Alemão, Labradores, Golden Retriver, Boxer, entre outros.

Os sintomas apresentam geralmente progressão crônica de aparecimento mascarado. Na maioria das vezes não são observados sinais clínicos até 5-6 anos de vida.

Quais os sintomas e graus da hérnia de disco em cães e gatos?

A hérnia discal em animais pode apresentar-se desde somente dor no local (grau 1), até dificuldade de locomoção com alguma presença de movimentos (grau 2 e 3), ou até paralisia dos membros (grau 4 e 5).

Quais os tratamentos para a hérnia de disco em cães e gatos?

Foi publicado um artigo no Congresso Brasileiro de Cirurgia Veterinária, em 2012, no qual 100% dos animais que apresentavam hérnia discal canina grau 1 a 4 e não passaram por cirurgia, tratando-se apenas com fisioterapia veterinária, recuperaram totalmente suas funções.

Hoje é de conhecimento geral que os animais paralisados (grau 4 e 5) devem ser indicados para cirurgia dentro de no máximo 72 horas da lesão. Porém, neste mesmo artigo mostrou-se que mais da metade dos casos de pets sem dor profunda e que não passaram por operações conseguiram desenvolver um andar medular ou incoordenado (modulado por arco-reflexo), que permite que o animal volte com grande parte de suas funções locomotoras.

Por que os animais operados com hérnia de disco devem fazer fisioterapia?

A fisioterapia veterinária pós-operatória em casos de hérnia de disco devem iniciar após uma semana de cirurgia. O intuito é controlar o processo inflamatório, melhorar a dor, ganhar massa muscular e retornar a movimentação normal.

É sempre bom alertar, a cirurgia é somente a parte inicial do tratamento, sendo extremamente necessário que dono e cão comparecem nas sessões e pratiquem os exercícios e dicas fisioterápicas após a operação.

Venha conhecer um pouco mais sobre a Rede PET FISIO!

Quer saber mais sobre hérnia de disco em cães e gatos e como trata-las? Marque uma consulta agora mesmo em uma das clínicas da PET FISIO mais próxima de você e garanta uma vida plena e saudável para o seu cão!

Artigos Recomendados