Coração de Cachorro – Como Cuidar

Coração de Cachorro – Como Cuidar

Coração de cachorro: como cuidar de cães com problemas cardíacos. Saiba quais os itens essenciais para manter a qualidade de vida do cão com problemas no coração

Encontre a unidade PET FISIO mais próxima de você e agende uma consulta com um especialista. Agende até mesmo pelo telefone (11) 5093-0178 ou (11) 95303-1449

Atualmente vemos cada vez mais cachorros afetados por doenças cardíacas que incapacitam o coração de bombear adequadamente o sangue; porém, os avanços na medicina veterinária já nos possibilitam traçar estratégias para cuidar desses pacientes a fim de levarem uma vida normal por muitos anos.

Existem diversas causas e doenças cardíacas que afetam o funcionamento do coração de cachorros e, na maioria dos casos, os cuidados devem passar por alguns passos importantes como veremos a seguir.

Os tratamentos medicamentosos!

Muitas doenças do coração podem conduzi-lo a uma insuficiência cardíaca, dentre as mais comuns estão à debilidade do miocárdio (camada muscular do coração que permite a contração para bombear o sangue), as insuficiências valvares e as arritmias.

Dependendo de cada caso concreto, o veterinário especializado irá prescrever uma ou mais medicações no intuito de estabilizar o paciente, retardar a evolução da cardiopatia e prevenir complicações decorrentes da doença.

Dentre eles está a furosemida, que nada mais é do que um diurético utilizado para evitar a congestão e ajudar a drenar o líquido que se acumula nos pulmões como consequência do insuficiente trabalho do coração; pacientes com congestão pulmonar apresentam tosse e podem desenvolver edema pulmonar (quadro grave e emergencial). Dependendo da cardiopatia apresentada, os pacientes podem apresentar congestão em outras áreas do organismo, evidenciada por acúmulo de líquido em cavidades torácica e abdominal (efusões).

Os medicamentos inotrópicos também são bastante utilizados para aumentar a força de contração do coração, favorecendo sua função. Antigamente usavam-se os do grupo digitálicos, como a digoxina, mas atualmente prefere-se o pimobendan visto sua maior eficácia. A digoxina continua sendo amplamente utilizada no tratamento de arritmias supraventriculares.

Existem, também, os inibidores da enzima conversora da angiotensina (IECAs), como o benazepril e o enalapril, que são vasodilatadores mistos (assim, agindo em artérias e veias). São utilizados em tratamento de longo prazo, geralmente administrados durante toda a vida do paciente após sua introdução. Eles evitam a ativação dos mecanismos compensatórios do organismo, mecanismos esses, que aceleram ainda mais o desenvolvimento das cardiopatias, sendo prejudiciais ao paciente.

Há algumas medicações que visam proteger as células cardíacas, como a espironolactona e o ômega 3, e medicações prescritas para o controle das arritmias.

A importância do exercício!

É importante manter o cão ativo e saudável, mas o exercício físico deve respeitar a fase da doença que cada cão apresenta. Cães com cardiopatias em fase inicial podem se beneficiar de atividades normais; entretanto, cães com arritmias graves e insuficiências valvares em estágio avançado muitas vezes não podem realizar atividades físicas, mesmo que de intensidade pequena. Antes de iniciar qualquer exercício com seu pet, o veterinário cardiologista deve avaliar quais os riscos e quais as atividades recomendadas ao seu amigo.

O controle e tratamento para cães com doenças do coração!

Os sinais mais evidentes de que o seu animal possui uma doença cardíaca incluem tosse, intolerância ao exercício físico, síncope (desmaio) e dificuldade respiratória. Por isso, o mais indicado é que o pet sempre esteja com o check-up atualizado e seja acompanhado por um especialista que irá traçar um planejamento eficaz de tratamento.

Em muitos casos, diferentes técnicas de fisioterapia veterinária ajudam na manutenção da saúde física e mental do animal, beneficiando o tratamento cardiológico. Além disso, também são programas eficazes de prevenção, ajudando na reabilitação e também emagrecimento, ponto de grande ajuda ao trabalho cardíaco. Em todo caso, novamente, é importante o acompanhamento médico profissional para que o direcionamento dos exercícios e técnicas fisioterápicas seja o mais correto para o seu animalzinho.

Artigos Recomendados